Impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares

Impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares

Sabia que a adesão aos tratamentos está associada a uma diminuição de 20% do risco de doenças cardiovasculares?

Atualmente, as doenças cardiovasculares (DCV) são a primeira causa de morbilidade e mortalidade no mundo. Segundo os dados da OMS, em 2015 morreram 17,7 milhões de pessoas devido a doenças cardiovasculares, o que representa 31% do total de mortes. Além disso, estima-se que, em 2030, as mortes por DCV atinjam os 23,6 milhões.

Embora a taxa de mortalidade por DCV esteja a diminuir na maioria dos países europeus, registou-se um aumento da cronicidade nos últimos anos associado ao envelhecimento da população.

Neste contexto, a falta de adesão aos tratamentos pressupõe um importante problema socio-sanitário. Em Espanha, os níveis de adesão na prevenção secundária de DCV situam-se nos 56%, o que significa que 44% dos pacientes não aderem ao tratamento.

Impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares

A principal causa de falta de adesão aos tratamentos está relacionada com a falta de informação do paciente sobre a sua doença e os tratamentos prescritos, pelo que é importante procurar formas de educação sanitária. Outros fatores que influem na adesão são a complexidade dos tratamentos e a comunicação com o pessoal sanitário.

As consequências mais importantes da falta de adesão nas DCV são:

  • Hipertensão arterial.
  • Acidente vascular cerebral.
  • Retinopatia diabética.
  • Neuropatia diabética.
  • Nefropatia diabética.

A intervenção coordenada dos profissionais de saúde é essencial para identificar barreiras na adesão aos tratamentos e propor soluções centradas nas necessidades de cada paciente.

Compromisso para melhorar a evolução da doença

A adesão aos tratamentos não se refere exclusivamente à toma da medicação, mas também à conduta do paciente em relação às recomendações acordadas pelo profissional de saúde. Portanto, para que um paciente melhore a sua adesão aos tratamentos deve adquirir uma atitude proativa na gestão da sua doença e melhorar a sua autonomia.

O farmacêutico assistencial desempenha um papel fulcral na melhoria da adesão aos tratamentos, oferecendo acompanhamento farmacoterapêutico através da Preparação Individualizada da Medicação (PIM) e apoio profissional.

Impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares

Uma adesão ideal está associada a uma diminuição de 20% do risco de doença cardiovascular e a uma diminuição de 38% da mortalidade.

Impacto da adesão nas DCV

Em 2015 foi concebido um estudo para avaliar o impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares em Espanha. Os resultados demostraram que aumentar em 1 ponto percentual a adesão aos tratamentos em pacientes com alto risco cardiovascular evitaria mais de 1200 mortes e até 1100 eventos cardiovasculares, com uma despesa sanitária evitável de 11 milhões de euros anuais.

Se a adesão aumentasse 10 pontos percentuais, evitar-se-iam mais de 8700 mortes e até 7650 eventos cardiovasculares, com uma despesa sanitária evitável de 75 milhões de euros anuais.

Impacto da adesão aos tratamentos nas doenças cardiovasculares